Noticias via Email

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Farinha de frutas oferece diversos benefícios para a saúde


Nutricionistas alertam que para conseguir todas as vantagens da farinha de banana verde, maracujá, uva ou açaí, é preciso beber muita água.

Duas colheres de farinha de banana verde misturadas na água meia hora antes do almoço deram um sumiço na barriguinha de Laura. “Eu comecei tem dois meses. Eu vestia 40, agora estou vestindo 38”, diz.

A farinha de banana verde é o auge hoje das farinhas porque já está comprovado que a fibra dela é conhecida como amido resistente.

Ele vai alimentar as boas bactérias que nós temos no intestino, o que provoca uma menor absorção de glicose, menor absorção de gordura e um funcionamento intestinal melhor.

Na farinha feita com o bagaço da laranja o poder de queimar gorduras é ainda maior, mas atenção: é preciso ter certeza que é a laranja citrus aurantium, caso contrário, a pessoa consome a farinha de laranja, como fonte de fibra.

A farinha de maracujá tem pectina, uma fibra solúvel que além de ajudar no controle do colesterol e do nível de açúcar no sangue, reduz a absorção da gordura dos alimentos. Segundo pesquisas a pectina se transforma numa espécie de gel no estômago e diminui a fome.

Estudos já comprovaram também que a farinha de uva diminui o nível do colesterol ruim, o LDL, e o aparecimento de varizes, porque ativa a circulação e ainda ajuda a retardar o envelhecimento. “Também rica em resveratrol, ajuda a evitar o câncer”, diz Karin Honorato, nutricionista

Já os atletas podem usar a farinha do açaí, que tem todos os benefícios revigorastes da fruta, com uma vantagem: tem a metade das calorias da polpa. “O açaí é uma fruta calórica devido aos seus lipídios, a farinha não tem lipídios”,explia a nutricionista.

Atenção: para conseguir todos esses benefícios é preciso beber muita água, pelo menos oito copos por dia. É que as fibras precisam de líquido pra ajudar o intestino a funcionar bem. Sem água, o efeito pode ser contrário.

Se o desejo maior for de emagrecer, o ideal é consumir as farinhas trinta minutos antes das refeições, no máximo quatro colheres por dia, mas se o interesse for pelos outros benefícios das farinhas ela pode ser misturada até no feijão com arroz.

A chef e nutricionista, Andrezza Eufrázio, ensina como fazer a farinha de maracujá:

Ingredientes


1Kg de maracujá

Modo de preparo:

- Lave bem os maracujás em água corrente.
- Coloque-os em uma solução com 1 litro de água com 1 colher de sopa de água sanitária por 10 minutos.
- Enxague e seque-os.
- Corte-os ao meio, retire a polpa e guarde para fazer suco.
- Corte a casca em tirinhas finas, ponha numa assadeira e asse em forno médio (aproximadamente 70°C) por cerca de 4 horas ou até que fiquem sequinhas.
- Espere esfriar.
- Bata no liquidificador (ou passe no processador) até obter uma farinha.
- Passe pela peneira e guarde num recipiente limpo e tampado.

Informações Nutricionais (Porção de 30g):

- Valor Calórico: 40Kcal
- Carboidratos: 8g
- Proteína: 2g
- Gorduras Totais: 0g
- Gorduras Saturadas: 0g
- Colesterol: 0mg
- Fibra Alimentar: 18g
- Çálcio: 78mg
- Ferro: 2mg
- Sódio: 0mg.

-

Nutricionista tira outras dúvidas (ouça os melhores momentos)


Onde conseguir farinha de frutas? É melhor fazê-la em casa ou comprá-la pronta? Qual o tipo que ajuda mais no emagrecimento? Para responder as dúvidas dos internautas do Jornal Hoje, a nutricionista e chefe de cozinha Andrezza Eufrásio participou de um bate-papo aqui no site. Ela contou que uma das principais vantagens da farinha de frutas sobre a fruta “in natura” é a possibilidade de aproveitar melhor alguns nutrientes.

“Às vezes, a fibra da fruta está concentrada na parte que jogamos fora. Por exemplo, quando a gente quer consumir maracujá, fazemos um suco. Não consumimos aquela polpa branquinha, que é onde está maior quantidade de fibras e que normalmente dispensamos”, explicou.

A farinha de maracujá, inclusive, tem um outro benefício que vai agradar quem quiser perder alguns quilos. Segundo a nutricionista, essa farinha é a que mais auxilia no emagrecimento. “A fibra chamada pectina, que existe no maracujá, é muito importante para isso. Além disso, a farinha inibe a absorção de gordura”, disse. Mas fez questão de ressaltar que é necessário tomar bastante água junto. "Senão pode não funcionar, pode ficar com o intestino preso.”

O fato de a farinha de frutas ter muitos benefícios não significa, no entanto, que ela possa ser ingerida em excesso. Segundo Andrezza, não existe relação entre a quantidade a ser tomada e o peso da pessoa, mas em todo caso o ideal é até três colheres de sopa de farinha por dia.

“Uma colher já dá um aporte vitamínico bem interessante. Não dá para dar uma quantidade de fibras muito grande para o seu organismo se ele não está acostumado. Pode haver acúmulo de gases. Depois, você pode passar a tomar duas e então três colheres”, disse, acrescentando que, mesmo nessa quantidade, o melhor é ir consumindo de pouquinho em pouquinho ao longo do dia - de manhã, à tarde e à noite.

Além disso, ela destacou que não devemos substituir completamente a fruta pela farinha proveniente dela.

“Tem que ter um equilíbrio. Quando estou mastigando uma maçã ou banana, estou trabalhando minha musculatura e a parte motora, o que ativa a liberação de suco gástrico, essencial para a digestão da comida. A farinha precisa funcionar como um complemento. Quando levamos a fruta para o forno, alguns nutrientes como a vitamina C também se oxidam. Portanto, é importante sempre comermos a fruta in natura também.”

Onde comprar

“Hoje em dia é fácil conseguir farinha de frutas em lojas de fitoterápicos”, disse Andrezza. “Mas é sempre importante saber a procedência dela. Às vezes as pessoas agem de má fé, colocam farinha de trigo no meio para render mais. Então eu recomendo que veja a embalagem atentamente”.

Independentemente de você comprar a farinha ou fazer na sua própria casa, a nutricionista reforçou que a forma de conservá-la é a mesma: num recipiente fechado e seco. “Para fazer a farinha, tiramos toda a água da fruta. Se ela ficar úmida, pode estragar. Não é bom deixá-la exposta.”

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2010/09/farinha-de-frutas-oferece-diversos-beneficios-para-saude.html

Dietas devem ser adaptadas para cada faixa etária


Aos 20 anos, é possível comer mais carboidratos, já que os jovens consegue queimar mais calorias. Exercícios físicos também devem ser adequados à idade.

Mais possibilidades de variar o cardápio com menos risco de engordar. Na faixa dos vinte anos, os jovens conseguem queimar, em média, 60 calorias a mais do que um adulto. É como se o corpo funcionasse mais depressa. Por isso, dá para consumir mais carboidratos, como massas e arroz.

"Uma macarronada com molho de tomate, um queijo fresco, fica excelente e bem nutritivo", diz Sandra Aragão, nutricionista.

Depois dos trinta anos, as funções do corpo ficam mais lentas: é o metabolismo que começa a diminuir. “Continuo fazendo as mesmas atividades físicas, comendo a mesma coisa, mas percebe-se que agora uma facilidade maior de ganhar peso ou uma dificuldade maior de perder peso”, explica Virginia Fernandes, endocrinologista.

A partir dos trinta anos é recomendável consumir alimentos antioxidantes, que combatem os radicais livres, as moléculas responsáveis pelo envelhecimento. Isso pode ser encontrado nos vegetais e nas frutas, principalmente, as vermelhas.

Inclua também no cardápio a castanha do Pará, rica em selênio, que previne problemas cardiovasculares e ajuda no funcionamento do cérebro.

Quem está na fase dos quarenta, deve acrescentar chá verde, branco, vermelho e preto na dieta. Um litro por dia. "Ele produz uma queima, faz com que você queime mais calorias”, diz a nutricionista.

E um copo de suco: os vermelhos e, principalmente, verde, o chamado suco de clorofila. "É um suco que pode ser usado para combater radicais livres, celulite", afirma.

Para manter o bom funcionamento do organismo, quem já chegou aos cinquenta precisa de reforço de vitaminas, porque geralmente, a partir desta idade começa a diminuir a capacidade de absorção dos nutrientes.

"Principalmente vitamina C, que a gente encontra em frutas cítricas, vegetais de coloração verde, e a vitamina A, o betacaroteno, nos vegetais de coloração amarela", explica.

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2010/09/dietas-devem-ser-adaptadas-para-cada-faixa-etaria.html

Alimentação correta e atividade física podem reduzir os sintomas da TPM


Azeite, banana e maçã têm propriedades que ajudam a aliviar aqueles sintomas chatos da TPM.

TPM, qual mulher nunca teve? “Eu sinto raiva de deus e o mundo. Não quero conversar com ninguém, não me provoca”, diz a mulher.

Segundo os médicos, os sintomas da TPM podem aparecer 15 dias antes da menstruação, mas o mais comum é uma semana antes.

A TPM tem a ver com as alterações hormonais. A produção de estrogênio diminui, levando à irritações, alterações de humor e à depressão. Nessa fase também a mulher começa a produzir progesterona, hormônio que pode provocar retenção de líquidos. Aparecem os inchaços, dores nos seios e na cabeça.

Até 80% das mulheres vão ter em algum momento, algum tipo de sintoma, mas sintomas mais graves, chegando a afetar a vida dela, o relacionamento dela na família, em torno de 10% das mulheres.

“É muito claro na literatura médica que o exercício físico ajuda demais a melhorar os sintomas de TPM, porque libera mais endorfina. A pessoa tendo atividade física regular, ela costuma ter uma tensão pré-menstrual muito mais branda, ou passa muito melhor por esse período”, explica Juraci Ghiarone, ginecologista.

Os nutricionais dizem que alguns alimentos podem aliviar esses sintomas: algumas frutas, cereais e grãos como a lentilha, a linhaça e a quinua podem ser poderosos contra a TPM. Para dar certo a dieta tem que começar pelo menos dez dias antes da menstruação.

Nesse período a nutricionista Carolina recomenda comer diariamente uma colher de sopa cheia de cereais e grãos e abusar do tofu, o queijo de soja. Alimentos que podem ajudar a diminuir a ansiedade e os sintomas da depressão.

Já o azeite é bom para combater os inchaços. O ideal é comer uma colher de sobremesa em cada refeição. O chá de cavalinha também evita a retenção de líquido. São três xícaras: de manhã, de tarde e de noite.

Duas bananas por dia podem ser um santo remédio para controlar aquela vontade de chorar sem motivo e duas maças podem tirar o desejo quase irresistível de comer doces. Mal que também atinge as mulheres com TPM. “Com certeza comendo direitinho, a gente vai ter menos mau humor e os homens vão ficar mais felizes com a gente também”, garante Carolina Ribeiro, nutricionista.

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2010/09/alimentacao-correta-e-atividade-fisica-podem-reduzir-os-sintomas-da-tpm.html

Produtos naturais são vendidos como remédio e dizem fazer milagres


Cuidado com produtos que prometem curas milagrosas para várias doenças. A Anvisa esclarece que só medicamentos podem ser indicados para tratamento e prevenção de doenças depois de passarem por vários testes.

A atendente oferece um produto milagroso que ativa a circulação, previne queda de cabelo, combate o câncer, reduzir a pressão e o colesterol. O produtor do Jornal Hoje pergunta se pode devolver se não gostar, mas a atendente garante que o produto é bom e ele vai gostar.

Chá, guaraná em pó e cogumelo são considerados alimentos pela Anvisa, a Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Como alimentos, são classificados de acordo com o seu valor nutritivo.

As embalagens não podem ter indicações de possíveis benefícios para a saúde, dizendo que é bom pra isso, que ajuda naquilo, mas quem vende tenta convencer o consumidor das qualidades do produto de todas as maneiras.

Em uma página na internet, encontramos um chá misto de ervas com superpoderes: combate gordura, celulite, estria, varizes, ansiedade, prisão de ventre.

O cogumelo promete o que a ciência ainda não conseguiu: impedir aparecimento de câncer. A poção mágica diz que cura até alguns tumores, especialmente os de pele.

Todo medicamento natural, que promete benefícios para a saúde, precisa passar por testes, pesquisas e ser registrado pela Anvisa. O número tem que estar impresso na embalagem, com lacre e selo de segurança.

Segundo Leandro Viana, coordenador de fitoterápicos da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária, o consumidor deve estar atento e observar se produto realmente é registrado na Anvisa, e denunciar.

“Não se compra nenhum alimento falando que é pra câncer, pra leucemia. Um medicamento passou por todos os estudos, e cada vez mais estudos comprovando eficácia daquilo. É essa a diferença”, explica Sergio Tinoco Panizza, do Conselho Regional de Farmácia.

A Anvisa oferece formas de verificar os produtos no mercado: http://portal.anvisa.gov.br

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2010/09/produtos-naturais-sao-vendidos-como-remedio-e-garantem-milagres.html